Menu

Notícias


Criatividade que transborda dos pratos


Restaurante Tio Pepe conquista clientes com boa comida e decoração bem-humorada há 50 anos

Criatividade. Não há palavra melhor para explicar por que o restaurante Tio Pepe atrai e agrada clientes há 50 anos. Comer no local é uma experiência que começa antes de entrar, ao se avistar utensílios de cozinha pendurados como decoração, e passa pela possibilidade de comer um uma mesa que já foi uma cama.

Para recepcionar quem chega, Dona Pepa – uma boneca do tamanho de uma pessoa – fica à porta dando as boas vindas. A irreverência está em tudo: decoração, cardápio, nomes dos pratos, na placa que avisa: "Este estacionamento é uma cortesia. Não nos responsabilizamos blá... blá... blá..." Tudo cria um clima bem-humorado, muito adequado para o momento de uma refeição.

E a comida não decepciona. Dentre entradas como asinha de frango, costela de porca, camarão e uma impronunciável salsicha alemã, destaca-se o Caranguejo metido a coxinha (coxinha feita com massa de macaxeira recheada com carne de caranguejo). Há também o Casquinho de caranguejo, cuja carne, avisa o gerente da casa, Eduardo Andrade, é tratada manualmente. O resultado é uma excelente textura, e o tempero é levemente apimentado, sabor que faz do petisco um dos mais pedidos. "Servimos quase 5 mil mês", informa Eduardo.

Os 50 anos do restaurante inspiraram a cozinha, que está trazendo novidades ao cardápio, a maioria usando como ingrediente principal frutos do mar como camarão, bacalhau e salmão. Um prato recentemente incluído foi a moqueca, servida com um pirão delicioso e molho de sabor apurado. Eles fazem companhia ao Peixe na Brasa (posta temperada com molho a base de coentro regado azeite) e o Dona Pepa (filé de pescada amarela na brasa com arroz de camarão e batatas noisette pintadas de páprica), já parte do menu.

São muitas as opções de carne vermelha, com predominância de sabores regionais. Mas o prato mais famoso do Tio Pepe é o Filé trifásico. O filé mignon recheado com bacon e creamcheese, assado na brasa e acompanhado por um suave risoto com cogumelos e cenoura, banana à milanesa e macaxeira palha – uma marca da casa – é realmente uma delícia.

Para encerrar, uma opção regional saborosa é a Pernambucaníssima (fatias de bolo de rolo servidas com duas bolas de sorvete de creme e calda de goiaba). Outra sobremesa que merece a degustação é o Doce de leite 'bêbado' (doce de leite com claras em neve e vinho do porto), refrescante e saboroso.

Os quadros 'pendurados' no teto, o pedaço do reboco da parede que 'ficou por fazer', os recadinhos no cardápio (como o que avisa: se os garçons não souberem a resposta sobre algum item da decoração inusitada, inventarão algo), os nomes dos pratos, tudo no Tio Pepe é criativo. E tudo vem da inventividade da dona, Mirtes Garrido, filha de José Garrido, o Pepe, que abriu o restaurante em 1964. Assumindo a identidade de Dona Pepa, Mirtes é a alma do restaurante e se envolve em todos os aspectos do funcionamento da casa. "Mirtes é muito perfeccionista", avisa o gerente Eduardo Andrade.

A experiência termina com uma placa simpática que assim se despede dos clientes: "Se você gostou... Retorne. Se não gostou... Tente novamente".

Fonte: Leia Já