Menu

Notícias


Cinco décadas de sucesso


Nem a conjuntura política do Brasil de 1964 foi capaz de abalar as ideias empreendedoras do espanhol José Garrido, mais conhecido como Pepe, que naquela época desembarcou na capital pernambucana com desejo de investir no setor culinário do país. Foi quando na beira-mar de Boa Viagem nasceu o restaurante Tio Pepe, especializado em frutos do mar grelhados – principalmente lagostas e camarões, criados em um viveiro próprio da casa. De lá para cá, muito mudou: o cardápio ganhou um toque mais regional e contemporâneo e o estabelecimento deixou a praia para se instalar em um simpático casarão em Setúbal, além de passar para uma nova gestão. Agora, quem comanda o espaço é a filha de Pepe, Mirtes Garrido, e o sobrinho, Eduardo Andrade.

Ele, um administrador nato. Cuida das contas do restaurante e das questões mais burocráticas do dia a dia. Ela, artista plástica, cuida do ambiente. A mistura que dá tão certo e mantém vivo o espírito deixado pelo Tio Pepe. E é justamente a soma da aparência do local com as delícias do cardápio que garantem o encantamento do freguês. "Mirtes sempre brinca que, com o tempo, sentiu a necessidade de se tornar uma decoradora para dar um toque a mais no Tio Pepe. Então ela começou a garimpar várias peças e resultou no que o ambiente temos hoje", conta o gerente Eduardo Andrade. "Já eu comecei a fazer parte do negócio para cuidar da parte administrativa, porque tenho mais noções sobre o assunto", complementa.

Aconchegante e decorado com muito bom humor, o restaurante tem em suas paredes peças como a última fotografia do fantasma da ópera e rabiscos com as frases "música baixinha para conversar, xô celular!" e "se você gostou, retorne. Se não gostou, tente novamente". O ponto alto fica por conta da boneca gigante de pano Dona Pepa, presente logo na entrada como uma verdadeira anfitriã.

Cardápio


Quando o assunto é cardápio, a assinatura da chef de cozinha Iracema Conceição mantém a grelha como marca registrada da casa, e os destaques são a carne de sol e o filé de pescada amarela, que leva o mesmo nome da boneca de pano do restaurante. Na hora que bate a vontade de comer um docinho, também não faltam opções. "Temos o doce de leite bêbado, uma receita secreta com vinho do porto que não contamos a ninguém", brinca o gerente.

Eduardo também acredita que é a relação estreita construída com os frequentadores do Tio Pepe que fazem o sucesso do empreendimento. "Estamos fincados aqui em Setúbal há 35 anos, e por enquanto, não pretendemos abrir outras filiais. Adquirimos uma fama e por isso é natural o questionamento por outros restaurantes na cidade", diz ele, que prefere apostar no controle de qualidade centralizado em apenas uma unidade.

Fonte: DIARIO DE PERNAMBUCO /ECONOMIA